25 de novembro de 2010

O culto cristão

Viçosa 05

 Igreja: é um lugar onde ajuntam pessoas. Sentam em bancos de madeira e olham todos para frente. Cantam, oram sempre de frente. Ouvem o pregador que fala sempre sobre o mesmo tema: Deus.

Hoje as janelas estão abertas, faz calor. Por ela entram sons a vulsos: carros, gente, coisas.

Aqui dentro o banco mais cheio tem 5 pessoas, e os primeiros bancos da frente não tem ninguém.

As pessoas ocupam-se em ouvir. Eu ouvi uma corneta, o som entrou pela mesma janela atravessou o salão e me acertou em cheio os ouvidos.

O pregador fala. Sua voz caminha por cada ouvido. Depois derrete o espaço do templo e escorre pelos corredores, fixa-se no piso. A ideia é que se fixe nas solas dos sapatos de todos os presentes e assim saia pelas ruas  de nossa cidade que agora chove.

A cidade dentro de casa

Viçosa 04




















Hoje eu vivi a cidade de dentro de casa. Não saí pra nada! Vi o clima se transformar pela janela.
Viver a cidade de dentro de casa é assim: individual.
Li sobre as percepções e impregnadas nos corpos das pessoas, “corpografias”. A cidade nos marca. Nos sela. Pertencemos a ela. Queiramos ou não. Daí fica o desafio: ler o mapa corporal, ler o corpo das pessoas e perceber a presença do urbano.

Hoje a  internet foi meu meio de encontrar pessoas e lugares. Foi minha janela para o urbano. Conversei com diferentes pessoas ao longo do dia. Sempre do lado de dentro de casa.