14 de janeiro de 2011

Viajando


Caminhando pela cidade procurando ver coisas as vezes trás resultados inexplicáveis, imagens que só aparecem porque as vimos naquele instante. Não é apenas um exercício de vagar pela cidade, é viajar por ela e por suas ínfimas possibilidades. Claro, tudo influencia nessa experiência visual. A luz, o tempo, a hora do dia, o estado emocional, a bagagem imaginatiav etc. Eu, há poucos dias, li o livro “O Hobbit” de J.R. Tolkienn. A partir disso, sei que um barranco pode virar qualquer coisa.

*Em breve flanâncias de outras cidades.

12 de janeiro de 2011

Estrutura multiformica

esquema gráfico da estrurua multifórmica da urbanidade contemporânea

Gislaine, 23 anos, estuda no APAE e mora no alto do bairro Bom Jesus. 
Responde de prontidão perguntas que lhe são feitas, e pronuncia meu nome “alíss”



































A estrutura social da cidade é extremamente complexa. Pessoas compõem grupos. Grupos se sobrepõem. Grupos de pessoas são translúcidos e permeáveis, portanto as junções formam novas categorias. Hoje fui a um ponto de encontro de um dos meus grupos prediletos e lá vi a sobreposição mais misteriosa. No momento em que percebi que estava diante de um mistério pedi pra Gislaine dizer uma frase pra eu escrever e registrar o momento. Ela prontamente (como sempre) respondeu e fiz a foto. Uma homenagem aos encontros inexplicáveis de pessoas em sobreposições complexas. Bem vindos ao mundo urbano. Ainda nem falei de virtualidades.