8 de janeiro de 2011

Urbanidade e colisões

foto 1 - 18mm






















foto 2 - 40mm


























A conseqüência inevitável e inadvertida do viver urbano é o encontro. Proposital em sua concepção do espaço e oras abrupta em sua práxis (seu acontecimento espaço-temporal). A cidade é (re)feita  de colisões. Colidi hoje com cenas possíveis de serem vistas apenas devido à ação social do homem em agregar pessoas, coisas e idéias múltiplas em um espaço relativamente pequeno. Espaço suficiente para uma composição e de 40mm com tanta informação psicológica e tecnológica, dois aspectos valiosos à observação. O homem vive e interage consigo e com o mundo, seus gestos estão impregnados de informação, o tal mapa corpográfico.

Sobre a foto 1 tirada exatamente do mesmo locus retrata outro aspecto da colisão: o receio.

Um comentário:

  1. Oi Liz.
    Esse foi o post mais denso. Reli ele duas vezes, pras minhas ideias "flanarem" como as suas. O mapa corporal é forte, universal.
    A sequência valoriza o raciocínio e nos ajuda a entender esse tempo/espaço/ato.

    Acho que se você tirar um pouquinho da vinheta da segunda foto, na parte superior direita, ajuda mais nossa leitura. O rosto dele ficou um pouco escondido na sombra...

    Aprendo muito com seu trabalho. Obrigado por compartilhar.

    ResponderExcluir